As oficinas de memória são uma actividade importante nos lares residenciais para idosos uma vez que ajudam a manter ou melhorar as capacidades cognitivas dos residentes. As oficinas de memória são uma forma divertida de manter os residentes activos e empenhados, ao mesmo tempo que os ajuda a manter a sua saúde mental. Neste artigo vamos discutir como organizar um workshop de memória num lar de idosos.

1) Determinar as necessidades dos residentes

O primeiro passo para organizar uma oficina de memória é compreender as necessidades dos residentes. Cada residente tem diferentes capacidades cognitivas e necessidades. Por conseguinte, é importante discutir com os residentes e as suas famílias o que gostariam de ver no seminário. Além disso, é importante considerar os interesses dos residentes ao planear a oficina. Por exemplo, se um residente gosta de música, pode incorporar canções na oficina.

2) Escolha um tema para o workshop

A escolha de um tema para o workshop é importante, pois dá uma orientação ao workshop. Os temas populares para workshops de memória incluem memórias de infância, eventos históricos, viagens, receitas culinárias, etc. É importante escolher um tema que interesse aos residentes e que lhes permita recordar boas memórias.

3) Preparar o material

Uma vez escolhido o tema do workshop, é tempo de preparar os materiais. Necessitará de material de escritório como lápis, canetas e papel, bem como outros materiais específicos para o tema. Por exemplo, se o tema for memórias de infância, pode ter fotografias de infância, brinquedos retro e outros objectos que recordam a infância.

4) Planear as actividades

É importante planear actividades de oficina para manter os residentes envolvidos. As actividades podem incluir jogos de memória, questionários, puzzles, canções para cantar em conjunto, etc. As actividades devem ser adaptadas às capacidades cognitivas dos residentes e ser divertidas para os manter envolvidos.

5) Encorajar a participação activa

É importante encorajar a participação activa dos residentes durante o seminário. Isto pode ser feito fazendo perguntas e encorajando os residentes a partilhar as suas memórias e experiências. Os residentes podem também ser encorajados a trabalhar em conjunto em actividades para reforçar os laços sociais.

6) Fazer pausas regulares

É importante fazer pausas regulares durante a oficina para permitir aos residentes descansar e recarregar. As pausas podem ser usadas para fornecer lanches, bebidas e discussões informais. As pausas também podem ser usadas para permitir aos residentes socializar e conhecerem-se uns aos outros.

7) Avaliar o seminário

Após o workshop, é importante avaliar o seu sucesso. Pode fazer isto pedindo aos residentes e ao pessoal a sua opinião sobre o seminário. Pode também avaliar o seminário observando a participação dos residentes e o seu nível de envolvimento durante o seminário. Estas avaliações podem ser utilizadas para melhorar futuros workshops e responder melhor às necessidades dos residentes.

8) Envolver o pessoal

O pessoal da casa de repouso deve ser envolvido na organização e implementação do seminário. Podem ajudar na preparação dos materiais, no planeamento das actividades e na criação do atelier. Podem também ajudar a encorajar os residentes a participar e a manter um ambiente amigável e estimulante.

9) Utilizar ferramentas tecnológicas

 

As ferramentas tecnológicas podem ser utilizadas para melhorar as oficinas de memória no casa de repouso. Tabletes, computadores e jogos interactivos podem ser utilizados para criar actividades estimulantes para os residentes. Estas ferramentas também podem ajudar a avaliar o sucesso do seminário, recolhendo dados sobre a participação e o envolvimento dos residentes.

10) Planear seminários regulares

 

Finalmente, é importante planear workshops regulares de memória para manter os residentes envolvidos. Os workshops podem ser programados semanalmente, mensalmente ou de acordo com outro horário que se adeqúe ao casa de repouso. Os residentes podem também ser encorajados a organizar os seus próprios workshops ou a participar em actividades de pequenos grupos.

 

Em conclusão, as oficinas de memória são uma actividade importante no casa de repouso para manter ou melhorar as capacidades cognitivas dos residentes. Para realizar um workshop de memória de sucesso, é importante compreender as necessidades dos residentes, escolher um tema adequado, planear as actividades, encorajar a participação activa, ter intervalos regulares, avaliar o workshop, envolver o pessoal, utilizar ferramentas tecnológicas e planear workshops regulares. As oficinas de memória são uma forma divertida de manter os residentes activos e empenhados enquanto mantêm a sua saúde mental.

Funções cognitivas estimuladas durante workshops de memória

As oficinas de memória são muito úteis para os mais velhos. Através destes workshops pode trabalhar a memória, a atenção, a linguagem e as relações entre pares. De facto, deve-se fazer actividades que estimulem o cérebro, mas também o lado emocional e relacional dos seniores.

A oficina de memória é, portanto, a solução perfeita. A oficina de memória é feita em pequenos grupos, o que permite a troca e discussão entre pares. Além disso, utilizando as memórias e experiências das pessoas mais velhas, elas podem ficar felizes por partilhar as suas vidas e experiências.

Graças às vantagens que acabamos de ver, os seniores estão motivados para realizar actividades. As actividades são concebidas para estimular as funções cognitivas dos seniores, começando pelas funções cognitivas mais frágeis:

Memória: A memória é a função cognitiva que nos permite armazenar informação relacionada com o nosso experiências (memórias) ou conceitos gerais (conhecimentos). Existem portanto vários tipos de memória, dependendo da informação processada.

Atenção: a atenção permite-nos permanecer concentrados numa actividade. O workshop de memória é organizado em várias fases, pelo que a pessoa deve conseguir manter a sua atenção na actividade (atenção focalizada), mas também prestar atenção aos outros participantes e às suas intervenções (atenção partilhada)

Língua: durante a oficina de memória cada pessoa tem de trocar com os outros participantes e para o fazer utilizam a língua. De facto, a linguagem é muito importante em termos de fala e compreensão.

memory care center

A oficina de memória em casa de repouso

 

Quando um cidadão idoso chega a um casa de repouso, ele ou ela tem fraquezas que podem ser físicas ou cognitivas. O objectivo dos prestadores de cuidados é abrandar o declínio cognitivo. Por esta razão, no casa de repouso há frequentemente actividades organizadas com este objectivo, tais como oficinas de memória.

Nos lares de idosos é importante que um cuidador (facilitador, psicólogo, etc.) lidere o workshop para ajudar os participantes a acompanhar as actividades e a participar. A oficina de memória tem ainda mais valor no casa de repouso. Os mais velhos podem sentir-se longe de casa ou ter dificuldade em falar sobre as suas experiências pessoais, uma vez que estão longe das suas famílias. A oficina torna-se assim o local onde a pessoa pode falar de si própria, da sua vida e partilhar algo pessoal.

Além disso, os idosos em lares de idosos têm frequentemente problemas de memória, pelo que é importante estimular a sua memória. Por exemplo, no caso da doença de Alzheimer, a pessoa pode reviver acontecimentos do passado. Neste caso, as imagens ou sons podem ajudar a evocar memórias. No casa de repouso também pode haver pessoas que sofrem da doença de Parkinson. Neste caso, a oficina de memória pode ser útil para estimular a linguagem e a manipulação de objectos.

Acompanhamento de um doente de Alzheimer

alzheimer carmen

Apoio às pessoas após um AVC

avc fernando

 

 

Descobrir ferramentas chave na mão para a organização de oficinas de memória no casa de repouso

FERNANDO e CARMEN, os vossos treinadores de memória

 

Fernando e Carmen são dois programas de memória baseados em tabelas. Edith é a versão mais fácil para seniores com fragilidades significativas (Alzheimer, Parkinson…). Fernando é uma versão mais difícil para adultos ou cidadãos idosos a nível da prevenção. Nestas aplicações, encontrará mais de 30 jogos para estimular as funções cognitivas. Os jogos são adaptados à idade dos mais velhos, por isso são perfeitos para criar uma oficina de memória. O ecrã do tablet pode ser projectado num grande ecrã, para adaptar a actividade a um grupo.

UM PROGRAMA DE PREVENÇÃO OU DE PERDA MENTALLIGEIRA

FERNANDO

fernando memoria

UM PROGRAMA DE APOIO ÀS PESSOAS COM DOENÇA DE ALZHEIMER

CARMEN

carmen-app-memória-senior-alzheimer-coach-educação-jogo-para-adulto

Outros artigos que lhe possam interessar: