O número de pessoas afectadas por esta doença está a aumentar. Os doentes podem ser melhor acompanhados quando a doença é descoberta precocemente. Os sinais observados nos doentes são múltiplos e progressivos. Aprender sobre o impacto da educação sobre os sintomas da doença de Alzheimer.

 

Foco na doença de Alzheimer e nos seus sintomas

A doença de Alzheimer é uma doença que ocorre principalmente em pessoas com mais de 60 anos de idade. Esta doença manifesta-se em diferentes desordens. Antes de mais nada, problemas de memória. Para além destes sinais, existem problemas de comportamento. Manifestam-se através de agressões ou mudanças de humor. Também se nota que um doente de Alzheimer terá dificuldade em concentrar-se ou perder o seu rumo. Por outro lado, existem dificuldades na comunicação ou no reconhecimento de certos conhecimentos. A doença de Alzheimer é diagnosticada pelo médico após a observação destes sintomas. A boa notícia é que algumas coisas podem ajudar a atrasar o aparecimento da doença de Alzheimer.

 

Educação e Alzheimer: qual é a ligação?

A educação pode atrasar os sintomas da doença de Alzheimer, de acordo com estudos realizados nas principais universidades. Um exemplo é um estudo conduzido por investigadores da Universidade de Cambridge. Segundo este estudo, existe uma ligação entre a educação e a doença de Alzheimer. Pode ler sobre este estudo num dos números do British Medical Journal. As mentes activas podem, portanto, retardar os sintomas da doença de Alzheimer. A educação é sem dúvida uma excelente forma de se proteger da doença de Alzheimer. Outro estudo publicado em “Neurologia” mostrou também que a educação tem uma influência positiva na saúde cerebral dos idosos com doença de Alzheimer.

Portanto, é importante encontrar actividades que estimulem o cérebro a fim de retardar os sintomas da doença de Alzheimer. Acima de tudo, devem ser feitos progressos na educação. No entanto, a educação não é a única coisa que atrasa o aparecimento dos sintomas de Alzheimer. Existem outras formas de retardar o aparecimento da doença.

 

Outras formas de retardar os sintomas de Alzheimer

Há várias coisas que podem ajudar as pessoas em risco de contrair a doença de Alzheimer a parar os sintomas. Existem actividades artísticas tais como o canto e a leitura. Porque não se inscrever em sessões de canto ou workshops? A leitura diária é uma boa maneira de passar o tempo. Torna-se terapêutico na medida em que actua sobre os sinais.

 

Outra forma de retardar o início dos sintomas é agir sobre os factores de risco cardiovascular. Alimente bem o seu cérebro comendo vegetais verdes, nozes, aves, etc. Além disso, um estilo de vida saudável é essencial para atrasar o início da demência. O consumo de bebidas alcoólicas deve ser reduzido e o tabagismo deve ser suspenso. A actividade física é boa para o corpo em todas as idades. Fazer sessões de exercícios moderados durante a semana. Além disso, concentrar-se em actividades cognitivas, tais como a aplicação Joe! Estimule o seu cérebro com mais de 30 jogos divertidos e culturais. Uma forma simples e divertida de treinar o seu cérebro.

UM PROGRAMA DE PREVENÇÃO OU DE PERDA MENTALLIGEIRA

 

FERNANDO

fernando memoria

UM PROGRAMA DE APOIO ÀS PESSOAS COM DOENÇA DE ALZHEIMER

CARMEN

carmen-app-memória-senior-alzheimer-coach-educação-jogo-para-adulto

Passos após o diagnóstico

Acabámos de ver como retardar o início dos sintomas da doença de Alzheimer, mas estas técnicas são também eficazes para retardar o declínio cognitivo durante a doença.

Após o diagnóstico da doença de Alzheimer, tem de ser activo no apoio ao seu ente querido. Pode pedir conselhos ao seu médico e ele ou ela pode dar-lhe os dados de contacto dos ajudantes na sua área. Dependendo da gravidade dos sintomas, há várias soluções possíveis.

Pode começar a adaptar o ambiente doméstico: comprar um calendário para manter um registo dos compromissos, comprar caixas de comprimidos ou criar contactos prioritários ao telefone. Quando a pessoa pode viver em casa, pode procurar ajudantes domiciliários ou equipas especializadas em Alzheimer.

Quando os sintomas se tornam mais graves, é possível procurar lares ou unidades de cuidados adaptados.

Em qualquer caso, é importante continuar a estimular o seu ente querido com actividades cognitivas (leitura, jogos cerebrais, trocas, etc.). Mesmo que não seja possível parar a doença, pode-se tentar atrasar a deterioração cognitiva, e manter a autonomia da pessoa o maior tempo possível. A partilha destas actividades pode ajudar a manter uma ligação com o seu ente querido.

Outros artigos que lhe possam interessar: