Para assinalar o Dia Mundial da Doença de Alzheimer, gostaríamos de analisar hoje o estado atual dos conhecimentos sobre a doença de Alzheimer em todo o mundo. Iremos analisar os números, os factos e as histórias comoventes que testemunham a realidade da doença de Alzheimer em todo o mundo. Exploraremos também os esforços conjuntos de investigação, sensibilização e apoio aos doentes e às famílias, porque é essencial quebrar o silêncio e construir um futuro em que a doença de Alzheimer já não seja sinónimo de desespero, mas sim de esperança e compaixão.

 

A doença de Alzheimer, uma doença devastadora que se espalha silenciosamente por todo o mundo, afecta milhões de pessoas, destruindo vidas e colocando desafios monumentais aos indivíduos, às famílias e às sociedades em geral. Esta doença neurodegenerativa, caracterizada pela perda progressiva da memória, da cognição e da independência, é uma das epidemias de saúde pública mais prementes do nosso tempo. Os números são alarmantes, com a prevalência a aumentar à medida que a população mundial envelhece. Mas, estatísticas à parte, a doença de Alzheimer é, antes de mais, uma doença humana, que afecta cada doente e cada membro da família de uma forma única e desoladora. É por isso que é imperativo compreender a escala deste problema de saúde global, explorar os dados alarmantes que revelam a extensão do seu impacto e, acima de tudo, examinar as iniciativas globais que estão a ser postas em prática para o combater.

 

 

 

 

Estatísticas mundiais sobre a doença de Alzheimer

A doença de Alzheimer é uma pandemia silenciosa que afecta milhões de vidas em todo o mundo. Compreender a dimensão desta epidemia é essencial para orientar os esforços de prevenção, investigação e tratamento. Nesta secção, damos um mergulho profundo nas estatísticas globais da doença de Alzheimer, destacando os números actuais e previstos, bem como os grupos demográficos mais afectados.

De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde, existem atualmente 55 milhões de pessoas que sofrem de demência em todo o mundo, das quais a doença de Alzheimer representa entre 60 e 70% dos casos. A demência é a sétima principal causa de morte em todo o mundo, o que sublinha o seu impacto significativo na saúde global. O impacto da doença de Alzheimer não se limita à França: em todo o mundo, estima-se que existam 46 milhões de casos da doença neuro-evolutiva, com quase 4,6 milhões de novos casos por ano. De acordo com as projecções, este número deverá duplicar de 20 em 20 anos, atingindo mais de 80 milhões de casos em 2040.

 

Prevalência mundial da doença de Alzheimer

 

 

 

 

 

 

 

Os números actuais mostram que mais de 50 milhões de pessoas em todo o mundo têm a doença de Alzheimer, e o número não pára de aumentar. As previsões indicam que, em 2050, este número poderá aumentar para quase 152 milhões, principalmente devido ao envelhecimento da população mundial. Este crescimento alarmante coloca a doença de Alzheimer entre as principais prioridades de saúde pública, exigindo uma ação imediata para combater esta epidemia crescente.

Os números alarmantes da prevalência da doença de Alzheimer a nível mundial sublinham a necessidade urgente de investir na investigação e de sensibilizar o público para esta doença devastadora. Cada pessoa afetada pela doença de Alzheimer tem uma história única, e é nosso dever oferecer-lhes o apoio adequado.

Prof. Sarah Martinez, neurologista

 

Impacto económico da doença de Alzheimer

Para além do impacto emocional e pessoal, a doença de Alzheimer tem um peso económico significativo. Os custos médicos e sociais associados à doença são astronómicos. As despesas mundiais com os cuidados da doença de Alzheimer ultrapassam atualmente os 1 000 mil milhões de dólares por ano. Este encargo financeiro exerce uma pressão considerável sobre os sistemas nacionais de saúde e as economias mundiais, sublinhando a importância de encontrar soluções sustentáveis.

A doença de Alzheimer não só mudou a vida do meu pai, como também teve um enorme impacto financeiro na nossa família. Os custos dos cuidados médicos e dos serviços de apoio são avassaladores. É essencial pôr em prática políticas sociais para ajudar famílias como a nossa.

Maria Lopez, uma cuidadora familiar

 

 

Os grupos mais afectados

 

A doença de Alzheimer não afecta todos os grupos populacionais da mesma forma. As estatísticas revelam grandes disparidades. Os idosos estão naturalmente mais expostos ao risco, mas factores de risco específicos, como a história familiar, a diabetes e a hipertensão, também aumentam a vulnerabilidade. As mulheres são também mais susceptíveis de serem afectadas do que os homens.

A doença de Alzheimer é uma doença complexa com múltiplos factores determinantes. Compreender os grupos mais afectados ajuda-nos a orientar a prevenção e a investigação, na esperança de um dia inverter esta tendência alarmante.

Pr. Julia Singh, epidemiologista especializada em factores de risco

Ao explorarmos estas estatísticas globais sobre a doença de Alzheimer, apercebemo-nos da dimensão do desafio que enfrentamos. A próxima secção analisará as iniciativas globais para combater esta doença devastadora e oferecer esperança às pessoas afectadas.

 

 

Iniciativas globais para combater a doença de Alzheimer

A doença de Alzheimer é uma doença devastadora que ultrapassa as fronteiras nacionais. Face a esta epidemia mundial, estão a ser envidados esforços internacionais consideráveis para compreender, prevenir e tratar a doença. Nesta secção, exploramos as principais iniciativas globais destinadas a combater a doença de Alzheimer e a fazer uma diferença positiva na vida das pessoas afectadas.

 

Investigação internacional sobre a doença de Alzheimer

 

Principais organizações e projectos de investigação sobre a doença de Alzheimer

A investigação está no centro da luta contra a doença de Alzheimer. Organizações de todo o mundo lançaram iniciativas de investigação em grande escala para compreender os mecanismos subjacentes à doença. Instituições como o National Institute on Ageing, nos Estados Unidos, o Instituto Karolinska, na Suécia, e o Institut Pasteur, em França, dedicam recursos substanciais à investigação da doença de Alzheimer. As colaborações internacionais são também cada vez mais comuns, permitindo-nos tirar partido das competências e dos recursos de diferentes países.

 

A investigação da doença de Alzheimer é um projeto global que exige uma cooperação sem fronteiras. Juntos, estamos a fazer progressos significativos na compreensão desta doença complexa.

Professor David Chen, Diretor do Instituto de Investigação da Doença de Alzheimer

 

Muitas empresas farmacêuticas e organizações de investigação estão a realizar uma investigação intensiva sobre a doença de Alzheimer, na esperança de desenvolver novos tratamentos mais eficazes. Eis alguns laboratórios e abordagens de investigação dignos de nota:

 

 

  • Biogen: Esta empresa desenvolveu o aducanumab, um anticorpo monoclonal que tem como alvo as placas amilóides no cérebro dos doentes de Alzheimer. A aprovação do aducanumab pela FDA em 2021 gerou um interesse considerável e abriu caminho a novas investigações.
  • Eli Lilly: A Eli Lilly está a trabalhar no donanemab, outro anticorpo monoclonal contra a amiloide. Estão atualmente em curso ensaios clínicos para avaliar a sua eficácia.
  • Roche e AC Immune: Estas empresas estão a colaborar no desenvolvimento de vários candidatos a medicamentos contra a amiloide, incluindo o crenezumab. Encontram-se atualmente em ensaios clínicos avançados.

 

  • Investigação genética: Está em curso a investigação sobre os factores genéticos que contribuem para a doença de Alzheimer. Laboratórios de todo o mundo estão a estudar as mutações genéticas que aumentam o risco de desenvolver a doença, o que poderá abrir caminho a terapias específicas.
  • Abordagens multifactoriais: Alguns laboratórios estão a explorar tratamentos que combinam diferentes estratégias, como a regulação das proteínas beta-amiloide e tau, bem como intervenções anti-inflamatórias, na esperança de tratar melhor a doença.

É importante notar que a investigação sobre a doença de Alzheimer é complexa e que o desenvolvimento de novos medicamentos pode demorar muitos anos. No entanto, o empenho contínuo da comunidade científica e farmacêutica oferece esperança para futuros avanços na compreensão e tratamento desta doença devastadora.

 

 

 

Descobertas e avanços recentes no domínio

Os avanços na investigação da doença de Alzheimer são constantes. Os cientistas estão a explorar novas vias para compreender melhor as causas da doença e desenvolver tratamentos mais eficazes. Descobertas recentes, como a identificação de biomarcadores precoces e o desenvolvimento de terapias genéticas promissoras, oferecem uma esperança tangível para o futuro. Eis alguns outros exemplos concretos:

  • Deteção precoce :
    • Os avanços na neuroimagem, como a tomografia por emissão de positrões (PET) e a ressonância magnética (MRI), permitem a deteção precoce de alterações no cérebro associadas à doença de Alzheimer, mesmo antes do aparecimento dos sintomas.
    • Biomarcadores como os níveis de proteína beta-amiloide e tau no líquido cefalorraquidiano ou no sangue são cada vez mais utilizados para identificar indivíduos em risco.
  • Investigação genética :
        • A descoberta de genes associados a um maior risco de desenvolver a doença de Alzheimer, como o APOE4, levou a uma melhor compreensão dos factores de risco genéticos.
        • A investigação de variantes genéticas raras, como as mutações no gene TREM2, está a abrir novas vias para a compreensão da patogénese da doença e para o desenvolvimento de potenciais tratamentos.
      • Abordagens multifactoriais :
              • Os cientistas estão a explorar tratamentos que combinam diferentes abordagens, incluindo a redução das placas amilóides, a modulação da proteína tau e a regulação da inflamação cerebral.
              • Os medicamentos existentes para outras doenças, como os anti-inflamatórios ou os medicamentos para a diabetes de tipo 2, estão a ser investigados quanto ao seu potencial no tratamento da doença de Alzheimer.
      • Intervenções não medicamentosas :
        • As terapias não farmacológicas, como a estimulação cognitiva, a gestão nutricional e a promoção do exercício físico, estão a tornar-se cada vez mais importantes na gestão dos sintomas e da qualidade de vida dos doentes.
      • Integração da inteligência artificial (IA) :
        • A IA é utilizada para analisar grandes quantidades de dados, como dados genéticos, imagens do cérebro e registos médicos, para detetar padrões e identificar potenciais alvos terapêuticos.

       

      Sensibilização e educação

      Campanhas mundiais de sensibilização para a doença de Alzheimer

      A sensibilização do público é um elemento-chave na luta contra a doença de Alzheimer. Campanhas globais como o Dia Mundial da Doença de Alzheimer, que se celebra todos os anos a 21 de setembro, têm como objetivo informar o mundo sobre os desafios enfrentados pelas pessoas com a doença e as suas famílias. Estas campanhas sublinham a importância da investigação, da prevenção e dos cuidados da doença de Alzheimer.

A sensibilização para a doença de Alzheimer é essencial para quebrar o estigma que a rodeia. Quanto mais abertamente falarmos sobre o assunto, mais recursos poderemos mobilizar para a investigação e o apoio.

Susan Johnson, uma ativista de longa data

Eis alguns exemplos de campanhas de sensibilização em todo o mundo:

Nos Estados Unidos:

  • “O Dia Mais Longo “: Organizada pela Associação de Alzheimer, esta campanha tem lugar todos os anos em junho, no dia mais longo do ano. Os participantes organizam eventos e angariam fundos para apoiar a investigação sobre a doença de Alzheimer. São encorajados a escolher uma atividade significativa que represente a luta constante das pessoas com a doença.
  • “Caminhada para acabar com a doença de Alzheimer: Organizada pela Alzheimer’s Association, esta caminhada anual tem lugar em muitas cidades americanas. O seu objetivo é angariar fundos para a investigação e sensibilizar o público para a doença de Alzheimer. Os participantes caminham em honra das pessoas com a doença.
  • “Projeto de Poesia sobre a Doença de Alzheimer: Esta campanha tem como objetivo sensibilizar para o papel da arte e da poesia na vida das pessoas com a doença de Alzheimer. Organiza oficinas de poesia em centros de cuidados prolongados para incentivar a expressão artística dos doentes.

 

No Quebeque :

 

 

  • A “Caminhada para a doença de Alzheimer”: Organizada pela Sociedade de Alzheimer do Quebeque, esta caminhada anual tem lugar em várias regiões da província. O seu objetivo é angariar fundos para apoiar as pessoas com doença de Alzheimer e as suas famílias e sensibilizar o público para a realidade da doença.
  • “Moi, je me souviens”: Esta campanha de sensibilização destaca as histórias e os testemunhos de pessoas com a doença de Alzheimer e das suas famílias. O seu objetivo é quebrar estereótipos e incentivar a empatia para com as pessoas que vivem com a doença.
  • “La Nuit Blanche pour Alzheimer”: Esta iniciativa incentiva os quebequenses a organizarem eventos ou actividades durante uma noite inteira para angariar fundos e sensibilizar para a doença de Alzheimer. Os participantes são convidados a vestir-se de branco para mostrar o seu apoio.

No Reino Unido :

  • “Dementia Friends” (Amigos da Demência ): Uma campanha lançada pela Alzheimer’s Society, com o objetivo de sensibilizar para os desafios enfrentados pelas pessoas com demência. Os participantes são incentivados a participar em acções de formação para compreender melhor a demência e aprender a apoiar as pessoas com esta doença.
  • “Memory Walk “: Organizada pela Alzheimer’s Society, esta caminhada anual angaria fundos para a investigação da demência e serviços de apoio. Realiza-se em todo o país, permitindo aos participantes caminhar em honra dos seus entes queridos afectados pela doença.

Em França :

  • “La Semaine Bleue”: esta iniciativa realiza-se todos os anos em outubro e tem por objetivo sensibilizar para a situação dos familiares prestadores de cuidados a pessoas com doença de Alzheimer. São organizados eventos para oferecer apoio e informação aos prestadores de cuidados.

Na Austrália:

  • “Dementia Australia: Esta organização organiza várias campanhas de sensibilização, incluindo o Mês da Sensibilização para a Demência em setembro. Organiza também caminhadas para angariar fundos e sensibilizar para a doença.

Índia:

  • “Alzheimer’s and Related Disorders Society of India (ARDSI): A ARDSI realiza várias campanhas de sensibilização na Índia para educar o público sobre a demência. Também organizam programas de formação para profissionais de saúde e prestadores de cuidados.

 

Estes exemplos ilustram como a sensibilização para a doença de Alzheimer é uma preocupação global e muitos países estão a desenvolver iniciativas para informar o público, prestar apoio às pessoas com a doença e às suas famílias e angariar fundos para a investigação. Cada campanha visa quebrar o estigma e melhorar a qualidade de vida das pessoas afectadas pela doença.

A importância da educação pública para reduzir o estigma

A educação do público desempenha um papel crucial na redução do estigma associado à doença de Alzheimer. Os programas educativos têm como objetivo informar as pessoas sobre a natureza da doença, os seus sintomas e o seu impacto. Uma melhor compreensão da doença de Alzheimer contribui para uma maior empatia para com as pessoas com esta doença e para a criação de sociedades mais inclusivas.

 

 

 

 

 

Apoio aos doentes e aos prestadores de cuidados

Programas e recursos disponíveis para pessoas com doença de Alzheimer e suas famílias em todo o mundo

Os programas de apoio e os recursos estão disponíveis em todo o mundo para ajudar as pessoas com doença de Alzheimer e as suas famílias. Organizações como a Alzheimer’s Association nos EUA e a Alzheimer’s Disease International fornecem informações, linhas telefónicas de apoio, grupos de apoio e serviços específicos para melhorar a qualidade de vida dos doentes e dos seus cuidadores.

Os programas de apoio têm sido uma tábua de salvação para a nossa família. Ajudaram-nos a compreender melhor a doença e a enfrentar os desafios diários.

John e Sarah Smith, familiares prestadores de cuidados

 

Olhando para estas iniciativas globais, torna-se claro que a luta contra a doença de Alzheimer é um esforço global, em que a investigação, a sensibilização, a educação e o apoio se combinam para oferecer esperança e ajuda aos que dela necessitam. Estes esforços colectivos constituem um passo importante para um futuro em que a doença de Alzheimer possa ser melhor compreendida, prevenida e tratada.

Embora as iniciativas de apoio e sensibilização para a doença de Alzheimer tenham frequentemente características semelhantes em todo o mundo, existem algumas iniciativas originais e criativas. Alguns exemplos são dados abaixo:

  1. Corrida para a doença de Alzheimer: Muitas regiões organizam corridas de beneficência para angariar fundos para a investigação da doença de Alzheimer e sensibilizar o público. Estes eventos atraem frequentemente participantes de todas as idades e níveis de condição física, criando um sentido de comunidade em torno da causa.
  2. “Join Dementia Research(UK )”: Trata-se de um programa que permite às pessoas registarem-se como voluntários para participarem em estudos de investigação sobre a demência. Os participantes são seleccionados para estudos relevantes de acordo com o seu perfil.
  3. “Music & Memory” (Estados Unidos): Este programa tem por objetivo melhorar a qualidade de vida das pessoas com doença de Alzheimer, fornecendo-lhes listas de reprodução personalizadas de música que evocam memórias específicas. Isto pode ajudar a estimular a memória e a reduzir a ansiedade.
  4. Cafés da Memória” (Canadá, França, Bélgica, etc.): Estes cafés oferecem um local acolhedor onde as pessoas com Alzheimer, as suas famílias e os prestadores de cuidados podem encontrar-se, discutir e partilhar as suas experiências, beneficiando simultaneamente de recursos e informações úteis.
  5. O projeto “Knit for Alzheimer’s” (Austrália): Esta iniciativa criativa incentiva as pessoas a tricotar mantas para os doentes de Alzheimer. Estes cobertores proporcionam calor e conforto, ao mesmo tempo que sensibilizam para a doença.
  6. TheDementia Dog Project(Reino Unido ): Este projeto treina cães para ajudar pessoas que sofrem de demência, incluindo a doença de Alzheimer. Os cães podem prestar assistência prática e emocional, melhorando a qualidade de vida dos doentes.
  7. A Casa das Memórias (Países Baixos): Este conceito inovador oferece um ambiente de vida realista para pessoas com Alzheimer, com decoração de época e objectos que podem evocar memórias preciosas e proporcionar conforto.
  8. Aldeia Alzheimer” nas Landes (França): O objetivo deste conceito inovador é criar uma verdadeira aldeia ao estilo da região das Landes, com 16 casas para acolher os doentes, bem como estúdios para os prestadores de cuidados. Esta aldeia tem uma verdadeira praça de aldeia, com lojas locais.

Estas iniciativas originais mostram como a criatividade e a inovação podem ser utilizadas para apoiar as pessoas com a doença de Alzheimer e aumentar a sensibilização para esta doença. Demonstram também a diversidade de abordagens que estão a ser adoptadas em todo o mundo para enfrentar os desafios da doença de Alzheimer.

 

 

Os desafios da doença de Alzheimer

A doença de Alzheimer é uma doença complexa que coloca grandes desafios à escala mundial. Compreender estes desafios é essencial para orientar os esforços futuros na luta contra esta doença devastadora. Nesta secção, analisaremos os obstáculos à gestão global da doença de Alzheimer, bem como as perspectivas futuras da investigação e da gestão desta doença.

 

 

 

Barreiras aos cuidados globais

Obstáculos à prevenção, ao diagnóstico precoce e ao tratamento

A prevenção da doença de Alzheimer é dificultada pela falta de conhecimento completo das suas causas. Embora tenham sido identificados factores de risco como o envelhecimento, a história familiar e certos genes, ainda não existe um método de prevenção infalível. O diagnóstico precoce é também complicado pelo facto de os sintomas da doença de Alzheimer poderem ser confundidos com outras perturbações cognitivas. Os métodos de deteção precoce, como a imagiologia cerebral e os biomarcadores, estão a evoluir, mas a sua acessibilidade continua a ser limitada

 

 

A doença de Alzheimer continua a ser um grande desafio devido à complexidade do diagnóstico precoce. Precisamos de testes mais acessíveis e de biomarcadores mais precisos para identificar a doença numa fase precoce.

Professora Elena Rodriguez, neurologista, especialista em perturbações cognitivas

 

Disparidades no acesso aos cuidados de saúde nas diferentes regiões do mundo

As disparidades no acesso aos cuidados de saúde são um grande obstáculo na luta contra a doença de Alzheimer. Em muitas partes do mundo, os recursos médicos e os serviços de apoio são limitados, o que leva a atrasos no diagnóstico e no tratamento. As desigualdades económicas e sociais desempenham um papel importante, uma vez que as pessoas desfavorecidas têm frequentemente menos acesso a cuidados de qualidade.

 

Uma iniciativa prometedora: adaptar um programa de estimulação cognitiva ao país em causa

 

Na DYNSEO, acreditamos na importância de preservar a memória, estimular a cognição e criar momentos de alegria para as pessoas com doença de Alzheimer. Os nossos programas de jogos de memória, conduzidos pelos nossos treinadores dedicados, foram concebidos para atingir este objetivo, celebrando simultaneamente a diversidade cultural do mundo. Junte-se a nós nesta aventura para combater a doença de Alzheimer enquanto explora e preserva o seu património cultural único.

Programas do jogo da memória Edith, Scarlett, Sofia, Carmen, Annelies e 忆趣

As aplicações de jogos de memória da DYNSEO, especialmente concebidas para responder às necessidades das pessoas com doença de Alzheimer. A nossa abordagem única visa oferecer um apoio divertido, envolvente e personalizado, sem nunca prejudicar os nossos jogadores. Cada país é culturalmente personalizado, garantindo uma experiência significativa e respeitosa.

Cada programa de treino da memória inclui jogos culturalmente personalizados. Encontrará os diferentes programas aqui:

edith memory games for seniors easy

Edith: A treinadora de memória para os doentes de Alzheimer em França, Bélgica, Suíça, Luxemburgo, Antilhas e Quebeque, com uma abordagem personalizada para cada região.

Scarlett:Treinadora de memória para os doentes de Alzheimer nos Estados Unidos, no Reino Unido e no Canadá, adaptando os jogos às particularidades de cada país de língua inglesa.

Sofia: O treinador de memória que apoia os italianos que sofrem de Alzheimer, com características especiais só para eles.

 

 

 

Carmen: Treinadora de memória para doentes de Alzheimer em Portugal e no Brasil,

 

 

 

Annelies: Para os idosos holandeses, a versão Annelies ajudará a estimular a sua memória,

 

 

 

忆趣 (Yìqù): O nosso treinador chinês, 忆趣, ajuda os idosos com Alzheimer a estimular a sua memória com jogos divertidos e culturalmente adaptados.

 

 

Eis alguns exemplos de como os jogos podem ser personalizados:

 

  1. Mamie Cuisine: As nossas receitas especialmente adaptadas trazem uma sensação de familiaridade e nostalgia. Jogar este jogo permite aos jogadores reencontrar memórias ligadas à cozinha e à alimentação, promovendo a estimulação cognitiva e o bem-estar emocional.
  2. Quizzle: Ao fazer perguntas específicas sobre a cultura de cada país, este jogo estimula a memória e a aprendizagem ao longo da vida. As respostas correctas proporcionam um sentimento de realização e de concretização.
  3. Puzzles: Os puzzles apresentam imagens conhecidas de locais culturais e monumentos históricos do país. A montagem destes puzzles é uma experiência gratificante que aumenta a concentração e a criatividade.

 

Os benefícios de tais programas para as pessoas com doença de Alzheimer :

  • Estimulação cognitiva suave: Os nossos jogos foram concebidos para manter e melhorar a cognição, evitando potenciais frustrações.
  • Apoio emocional: As actividades divertidas, as memórias culturais e as conquistas proporcionadas pelos nossos jogos proporcionam um valioso conforto emocional.
  • Manter a independência: Ao incentivar o envolvimento ativo, os nossos jogos ajudam os jogadores a manter a sua independência e autoestima.

 

Lista das associações mundiais de Alzheimer

  1. Alzheimer’s Association (Estados Unidos ): Esta organização oferece uma vasta gama de recursos, incluindo grupos de apoio, linhas directas, fóruns em linha e programas educativos para prestadores de cuidados e pessoas com a doença de Alzheimer.
  2. Alzheimer Society (Canadá ): A Alzheimer Society of Canada oferece apoio direto aos prestadores de cuidados e às famílias, bem como programas de sensibilização e formação para melhor compreender a doença.
  3. Alzheimer’s Disease International (ADI) A ADI é uma federação mundial de organizações de doentes de Alzheimer que tem por objetivo reforçar a cooperação internacional na luta contra a doença de Alzheimer. Organizam o Dia Mundial da Doença de Alzheimer e disponibilizam recursos e informações a nível mundial.
  4. Alzheimer Europe: Esta organização trabalha para melhorar a qualidade de vida das pessoas com Alzheimer e das suas famílias na Europa. Oferecem informações, recursos e eventos para aumentar a sensibilização e prestar apoio.
  5. Fondation France Alzheimer: Esta fundação francesa oferece serviços de apoio, grupos de discussão e programas de acompanhamento para pessoas com doença de Alzheimer e respectivos prestadores de cuidados em França.
  6. Doença de Alzheimer na Maurícia (Maurícia) Esta associação oferece actividades de apoio aos prestadores de cuidados e organiza sessões de informação para aumentar a sensibilização para a doença de Alzheimer na Maurícia.
  7. O projeto ALOHA (Austrália): Este projeto australiano visa apoiar os cuidadores aborígenes de pessoas com Alzheimer, fornecendo recursos culturalmente adequados e envolvendo as comunidades locais.
  8. Alzheimer Society of India (Índia) Esta organização indiana oferece serviços de apoio às famílias afectadas pela doença de Alzheimer, bem como programas de formação para profissionais de saúde.
  9. Associação Japonesa da Doença de Alzheimer (Japão): Esta associação japonesa oferece actividades de sensibilização, grupos de apoio a prestadores de cuidados e promove a investigação sobre a doença de Alzheimer no Japão.
  10. Alzheimer Foundation Switzerland (Suíça): Esta fundação suíça oferece uma série de serviços de apoio, incluindo grupos de autoajuda, aconselhamento jurídico e financeiro e actividades culturais para pessoas com a doença de Alzheimer.

Aplicações para apoiar as pessoas que sofrem de Alzheimer na sua vida quotidiana

Carmen, jogos adaptados

jogos de memoria alzheimer

Apoiar um ente querido com a doença de Alzheimer

alzheimer portugal dynseo

Outros artigos que podem interessar-lhe: